Referências de Educação

EducaçãoEducação para a Sustentabilidade e Responsabilidade Corporativa

As transformações necessárias à responsabilidade social corporativa que podem resultar na sustentabilidade deve ser generalizadas. Como já mencionado, pensar e agir com responsabilidade é pensar e agir voluntariamente e com a ética. Trata-se da ética como O conjunto de valores que fluem naturalmente do interior dos indivíduos, movendo suas escolhas, sua direção.

Como podemos despertar as consciências, sensibilizar e mobilizar cada vez mais as pessoas, de forma que passemos ao próximo movimento: a motivação, o desejo e o querer verdadeiro, que mobiliza a ação transformadora?

Estamos propondo a educação, a sensibilização como um caminho necessário e efetivo para a responsabilidade social corporativa, e assim, para a sustentabilidade.

De que educação falamos?

Daquela que conhece a sustentabilidade e a responsabilidade social corporativa, ao mesmo tempo em que reconhece suas as inter-relações e suas exigências.

A educação necessária à sustentabilidade e à responsabilidade social corporativa, da qual estamos falando, trata de seres humanos.

São premissas desse novo paradigma de educação para a sustentabilidade e para a responsabilidade social corporativa:

  • Entender o mundo de forma sistêmica, com seres humanos e elementos interligados e, assim, interdependentes;
  • Descobrir os pontos em comum que unem os seres humanos e os elementos, aparentemente separados, e assim, devolver aos seres humanos, a noção de pertencimento e, portanto, sua reconexão ao todo.

Nossa construção é inspirada por Paulo Freire, Fritz Schumacher, Humberto Maturana, Edgar Morin, David Orr, Willis Harman, entre outros.

Principal objetivo:

  • Propiciar o desenvolvimento de potencialidades, despertando indivíduos éticos, líderes com consciência de suas responsabilidades.

Outros objetivos:

  • Estimular o pensamento e a reflexão crítica;
  •  Motivar e instrumentalizar os indivíduos para a ação, através de um novo olhar, uma nova percepção de mundo;
  • Estimular o desenvolvimento da solidariedade, da participação, da capacidade pessoal de sentir-se parte de um mundo de outros e de envolver-se em grupos, equipes, associações;
  • Mobilizar a tolerância, ou seja, o compromisso, a co-responsabilidade com a redução e destruição das desigualdades, com o respeito à diversidade;
  • Ampliar a nossa possibilidade de sonhar um mundo que seja economicamente saudável, com igualdade entre os seres humanos, que vivem em harmonia num planeta em perfeitas condições de equilíbrio.